Quantas de nós passamos por momentos em que nos sentimos fragmentadas, quebradas… Em que nos resta apenas a fé (se se resta). Momentos em que nos encontramos encurraladas por nós mesmas e nossos próprios paradigmas, contratos, limitações, medos, angústias (sendo predadoras da nossa própria psique). Momentos em que nos damos conta de que nos permitimos sermos invadidas por situações, pessoas, sentimentos, pensamentos que nos sugam e nos destroem pouco a pouco… Momentos de fragilidade inocente, de véus sobre o olhar da alma, de falta de consciência.

Momentos como esses são parte da experiência do Estar Humano. E não há nada que possamos fazer para mudar o que aconteceu. O que passou, passou. E você tomou as melhores atitudes que você poderia naquele espaço-tempo. Mas, o que é possível fazer então? É tempo de tomar consciência e harmonizar o que precisa ser harmonizado e, assim, ressignificar as relações que precisam desse autoaconchego, deste amor próprio. Perceba: não estou falando de uma relação eu-tu e sim de uma relação eu-eu.

Este processo de iniciação à auto consciência é essencial para que possamos nos desenvolver através de nossas verdadeiras hierarquias cósmicas, de nossa essência pulsante, da harmonia do fluxo perfeito do universo. E é exatamente o que o Quartzo Faden nos ensina… Você consegue ver esta marca de rachadura que o parte ao meio? Pois bem, durante seu crescimento, algo (interno ou externo) fez com que ele quebrasse ao meio. Porém, ele continuou a crescer, cicatrizando sua ferida sagrada, a envolvendo com amor, cumplicidade e harmonia.

 

O Quartzo Faden nos ensina com sua ternura, delicadeza, força, poder, persistência. Nos auxilia nesses momentos em que é preciso renascer das cinzas, ressignificar marcas, acolher dores… Para nos perceber únicos, preciosos cristais de beleza e nuances, cada qual com sua cor, forma, marcas… (Percebem também a relação com Gaia, a nossa Mãe Terra? Tão bela e rica em diversidade com suas rachaduras, cavernas, fendas, desertos, abundantes florestas de fauna e flora…?)

Que possamos nos reerguer quantas vezes for preciso, queimar véus de ilusão quantas vezes for preciso, errarmos quantas vezes for preciso, recolher nossos ossos pelo deserto com La Loba quantas vezes for preciso… Pois isto significa que estaremos em movimento, em pulsação, em vida, no ciclo de vida-morte-vida, passando por iniciações de nós mesmas. Auto conscientização de consciências cósmicas perfeitas. Se não, nós estaremos paradas, congeladas no tempo-espaço, imóveis, seduzidas e completamente entregues ao entorpecimento azul de uma barba sem fim…

Que neste lindo dia, o Quartzo Faden possa te auxiliar a se entender melhor – o quanto você se permitir – e a ressignificar as suas feridas sagradas. Pois as marcas ficam, o que muda é a nossa relação com elas. Bem-vindas ao Clã das Cicatrizes!

Sejamos abençoadas sempre pela Grande Mãe!

Fique na paz do seu coração.

 

Camila Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *