A Mulher Selvagem e a derrota do predador natural da psique

Uma mulher pode tentar se esconder para não ver as devastações da sua vida, mas o sangramento, a perda da energia da vida, continuará até que ela reconheça a real natureza do predador a que se entregou e o domine. Essa incapacidade de ver, de compreender, de perceber que nossos desejos interiores não são concomitantes com nossos atos exteriores — é esse o rastro deixado de um fator presente na psique

A Mulher ingênua como presa

Sua natureza selvagem já farejou uma situação em um relacionamento que não será para você bom, de certa forma mortal, mas a sua psique ingênua descartou essa sabedoria interior. Nós todos nascemos anlagen, como o potencial no núcleo de uma célula: em biologia, a Anlage é a parte da célula caracterizada como “aquilo que se tornará”. Dentro da Anlage está a substância fundamental que, com o tempo, irá se desenvolver fazendo com que

La que Sabé

Nos encontros Alcathea as mulheres compartilham sua dificuldade de entender as palavras de Clarissa Pinkola Estés no livro Mulheres que Correm com os Lobos e o grupo tem sanado através da vivência e trocas esse caminhar de despertar da Mulher Loba. Clarissa joga com suas palavras em pílulas de poesia, transita entre os contos e os sonhos, entre as imagens e simbolismos, não em respostas prontas, remédios imediatistas. A Autora quer nos

O Predador Natural da Psique – Conto do Barba Azul

Num único ser humano existem muitos outros seres, todos com seus próprios valores, motivos e projetos. Existem seres interiores que são completamente loucos e  que destroem sem pensar. Mesmo a esses deve ser atribuído um lugar, muito embora seja um lugar que os possa conter. Uma entidade em especial, o fugitivo mais traiçoeiro e mais poderoso na psique, exige nossa conscientização e contenção imediatas — e esse é o predador natural. Embora

Tocando Aquela Que Sabe (La Loba)

Os quatro rabinos Uma noite quatro rabinos receberam a visita de um anjo que os acordou e os levou para a Sétima Abóbada do Sétimo Céu. Ali eles contemplaram a sagrada Roda de Ezequiel. Em algum ponto da descida do Pardes, Paraíso, para a Terra, um rabino, depois de ver tanto esplendor, enlouqueceu e passou a perambular espumando de raiva até o final dos seus dias. O segundo rabino teve

A ressurreição da Mulher Selvagem: La loba

As histórias são bálsamos medicinais. Elas têm uma força! Não exigem que se faça nada, que se seja nada, que se aja de nenhum modo — basta que prestemos atenção. A cura para qualquer dano ou para resgatar algum impulso psíquico perdido está nas histórias. Elas suscitam interesse, tristeza, perguntas, anseios e compreensões que fazem aflorar o arquétipo, nesse caso o da Mulher Selvagem. As histórias conferem movimento à nossa