Retorno ao Lar

É só quando a maturidade chega que reconhecemos a verdadeira dimensão do que vivemos e do que queremos viver daqui por diante. Mesmo munidas de um Manto de Cicatrizes, marcas de tantas batalhas que travamos na jornada da vida, esse é o momento em nossas vidas onde nos encaminhamos para encontrar um ponto emocional onde estamos dispostas a valorizar e considerar os nossos erros – assim como a valorizar aquilo

Eu, você e os outros

Hoje eu quero falar com você. É, você que está patinando nas páginas do livro, que lê muitos e muitos textos na internet todos os dias – e que tantas vezes não sabe como aplicar tudo que aprende no turbilhão da sua vida. Você sofre. Não sabe as perguntas que precisa fazer – nem imagina por onde começar. Só sabe que está tudo uma confusão enorme. Tantos e tantos “nãos”

Buscando minha essência

Quando foi a última vez que me permiti estar na natureza de corpo e alma? Quando foi que fiz uma coisa que me deixou suspirando de alegria, extasiada de prazer – seja este prazer algo simples como tomar um sorvete? Quando tirei meus sapatos e deixei meus pés em contato com a terra (ou a areia da praia)? Quando olhei pro céu, e conversei com as nuvens ou com as

O Quartzo Faden e as Iniciações

Quantas de nós passamos por momentos em que nos sentimos fragmentadas, quebradas… Em que nos resta apenas a fé (se se resta). Momentos em que nos encontramos encurraladas por nós mesmas e nossos próprios paradigmas, contratos, limitações, medos, angústias (sendo predadoras da nossa própria psique). Momentos em que nos damos conta de que nos permitimos sermos invadidas por situações, pessoas, sentimentos, pensamentos que nos sugam e nos destroem pouco a

Frida Kahlo: uma Mulher Selvagem

A artista mexicana Frida Kahlo (1907-1954) é, para mim, a inspiração de uma vida selvagem vivida com coragem, ousadia, verdade e criatividade. Já era uma pequena selvagem desde criança. “Rebelde”, como somos tachadas quando ousamos viver nossa essência. Sofreu um acidente terrível quando tinha 18 anos: o ônibus em que viajava chocou-se contra um trem, e uma barra de ferro atravessou seu corpo, perfurando-lhe a pelve e o útero. Desde

Ciclos Femininos e o Resgate da Mulher Selvagem

Entender os próprios ciclos é parte importante do processo de retomada da vida selvagem, da nossa própria essência. Durante milênios nos fizeram acreditar que o nosso tempo é linear: nascemos, crescemos, vivemos e morremos. Compramos essa roubada e agora tentamos recuperar, a duras penas, o verdadeiro significado do nosso tempo, muito mais rico e complexo. Nosso tempo é cíclico. Somos, literalmente, mulheres de fases. Quantas aqui sabem em que fase