Tira a Rodinha

Mulher, que em seus instintos se entregou à liberdade, abençoada seja! Mas será que ao pegar sua bike, colocar sua mochila e sair pedalando pela vida, você se libertou de verdade? Dá uma olhada nessa bike…  você tem certeza que está tudo certo com ela? Ou será que ela ainda tem rodinhas? Quando você decidiu ser uma mulher liberta, livre dos estigmas sociais, dos conceitos patriarcais, seus valores pessoais te

Bibliografia de Apoio

Queridas Lobas A linguagem simbólica e poética utilizada pela Clarissa Pinkola Estés no livro “Mulheres que correm com os Lobos” pode ser um tanto confusa em uma primeira leitura. Mas cada vez que mergulhamos novamente em seus capítulos, retornamos com uma nova compreensão ou novos insights. Uma bibliografia de apoio pode ajudar no entendimento de vários aspectos apresentados no livro, lançando luz sobre pontos aparentemente obscuros e expandindo conhecimentos. A

Retorno ao Lar

É só quando a maturidade chega que reconhecemos a verdadeira dimensão do que vivemos e do que queremos viver daqui por diante. Mesmo munidas de um Manto de Cicatrizes, marcas de tantas batalhas que travamos na jornada da vida, esse é o momento em nossas vidas onde nos encaminhamos para encontrar um ponto emocional onde estamos dispostas a valorizar e considerar os nossos erros – assim como a valorizar aquilo

O Quartzo Faden e as Iniciações

Quantas de nós passamos por momentos em que nos sentimos fragmentadas, quebradas… Em que nos resta apenas a fé (se se resta). Momentos em que nos encontramos encurraladas por nós mesmas e nossos próprios paradigmas, contratos, limitações, medos, angústias (sendo predadoras da nossa própria psique). Momentos em que nos damos conta de que nos permitimos sermos invadidas por situações, pessoas, sentimentos, pensamentos que nos sugam e nos destroem pouco a

Frida Kahlo: uma Mulher Selvagem

A artista mexicana Frida Kahlo (1907-1954) é, para mim, a inspiração de uma vida selvagem vivida com coragem, ousadia, verdade e criatividade. Já era uma pequena selvagem desde criança. “Rebelde”, como somos tachadas quando ousamos viver nossa essência. Sofreu um acidente terrível quando tinha 18 anos: o ônibus em que viajava chocou-se contra um trem, e uma barra de ferro atravessou seu corpo, perfurando-lhe a pelve e o útero. Desde